Além dos troféus

Por Monique Lôbo


João Miguel em Bispo (Foto: Diney Araújo/divulgação)

Foi com um solo completamente autoral que o ator João Miguel conquistou a sua primeira estatueta do Prêmio Braskem de Teatro, em 2001. Em Bispo, ele fez uma investigação cênica sobre o artista plástico sergipano Arthur Bispo do Rosário (1909-1989), que passou a maior parte de sua vida em hospitais psiquiátricos.

Responsável pelo roteiro e direção, João lançou a primeira versão da montagem em 1996. Cinco anos depois, quando começou a excursionar com o espetáculo, ele conquistou o troféu de melhor ator na premiação. “É muito gratificante quando se recebe um prêmio em um processo tão autoral como foi Bispo. Esse trabalho foi um divisor de águas na minha carreira e o prêmio surgiu quando comecei a viajar com o espetáculo e ele começou a ganhar eco lá fora", recorda.

Quando a cerimônia aconteceu, o ator estava no Rio de Janeiro, em cartaz com a peça, e não pode comparecer ao evento. Mas, nem por isso deixou de sentir a gratidão de ver um trabalho tão importante em sua carreira ter o reconhecimento de seus colegas. “Como estava fazendo uma temporada lá no Rio, não pude ir receber, mas lembro que foi muito gratificante saber que fui premiado, porque é uma resposta do próprio trabalho", conta João.

E esse resultado se tornou um incentivo a mais para que a peça fosse remontada outras vezes. “É bastante estimulante ganhar um prêmio em um processo tão significativo", diz. Para ele, o Prêmio Braskem de Teatro vai além dos troféus. “Ele tem uma importância muito grande para o teatro baiano há bastante tempo. Mesmo sabendo que as premiações não são uma resposta definitiva ao trabalho. Afinal, não há certo ou errado, bom ou ruim. Ainda assim, receber um prêmio é um estímulo a mais", avalia João Miguel, que não deixa de lembrar que estava ao lado de nomes de peso das artes cênicas quando disputou a premiação. “Eu estava concorrendo com grandes atores como Harildo Deda, Lúcio Tranchesi e Diogo Lopes Filho, não havia melhor ou pior", garante.

Ter o trabalho reconhecido em casa o enalteceu ainda mais na ocasião. “O Prêmio Braskem se torna ainda mais importante pra mim por ser da Bahia, lugar onde Bispo foi criado. Foi, com certeza, uma satisfação maior ter esse retorno local", afirma.