Gol na Copa

Por Monique Lôbo


Vladimir Brichta conquistou o seu primeiro troféu na premiação em 1999 por Calígula (foto: Divulgação)

O que Vladimir Brichta sentiu quando foi indicado pela primeira vez ao Prêmio Braskem de Teatro, então chamado de Troféu Bahia Aplaude, em 1996, só pôde ser comparado pelo ator a um gol de Copa do Mundo. A glória de ter o nome entre os concorrentes a categoria de melhor ator no início da carreira profissional é algo que até hoje ele carrega com clareza na memória. “Nessa ocasião, as indicações eram anunciadas no Hotel da Bahia, com pompas e circunstâncias, nos exigindo até uma vestimenta mais adequada. A minha indicação foi tão surpreendente e inesperada pra um jovem profissional, que ainda lembro da comemoração do anuncio do meu nome, carregado por colegas próximos, como um gol em Copa do Mundo”, recorda.

Foi com o espetáculo A Casa de Eros, um texto de Cleise Mendes dirigido por José Possi Neto, que ele alcançou a façanha, repetida dois anos depois, em 1998. Dessa vez, se juntou aos finalistas da categoria de melhor ator com Equus, dirigido por Fernando Guerreiro. Mas, foi no ano seguinte, em 1999, que ele conquistou o seu primeiro troféu na premiação.

Com Calígula, mais uma vez dirigido por Fernando Guerreiro, Brichta sedimentou seu nome no teatro baiano e o projetou para outras regiões do país. “Quando enfim ganhei o prêmio, senti como se um primeiro ciclo da minha vida profissional estivesse se fechando, com muito mais conquistas e aplausos que sonhei ter no teatro baiano. Coincidentemente, começava no mesmo período uma carreira no eixo Rio-São Paulo e me lembro de chegar sempre de cabeça em pé em qualquer ambiente profissional, pois eu tinha a chancela dos meus pares”, conta o ator.

É esse aval da classe artística que Vladimir considera um dos maiores méritos do prêmio. “Ainda que premiar algo subjetivo como o teatro seja sempre combustível para apaixonadas discussões, o prêmio é também combustível para dedicação e envolvimento com o próprio teatro”, afirma, destacando que o reconhecimento é uma ferramenta de estímulo ao desenvolvimento das artes cênicas na Bahia.

Para ele, o Prêmio Braskem de Teatro sempre ocupou um lugar de enorme representatividade no mercado. “Foi onde vi serem premiados os grandes atores e atrizes que cresci, e me formei, assistindo e admirando”, diz Brichta, que também faz parte dessa história.